“O Poderoso Chefão”, por Mario Puzo, Ed Falco e Mark Winegardner

Série: O Poderoso Chefão, por Mario Puzo, Ed Falco e Mark Winegardner

Um belo dia, meu pai chegou em casa com um box de DVDs vermelho e fez assim para mim:

“Agora você vai saber o que é máfia de verdade.”

Eu fiquei meio em choque, “como assim?”, pensei. Nós estávamos numa fase muito boa em que passávamos o domingo inteiro vendo filmes (sem home office, sem trabalhos imensos da faculdade e, principalmente, sem nem sombra de pandemia e Corona vírus).

Havíamos acabado de sair de uma maratona de mais ou menos 3 meses vendo todos os filmes do 007 (visto que só assistiamos aos domingos).
Havia lido a lenda de que Bruce Lee havia sido morto pela Tríade Chinesa.
No último “Domingo Maior”, havia passado um filme sobre a máfia russa. Adoro essas coisas escusas, são fantásticas (talvez exatamente por estarem tão longe de mim).

“Você nunca ouviu falar d’O Poderoso Chefão?”, perguntou ele.

Claro que já havia ouvido falar. Acho que 89% das referências hollywoodianas de máfia vieram dessa série de filmes clássica. Assisti, amei, me apaixonei. Chorei e me emocionei como em poucos filmes. A história de Vito Corleone, explicitada no segundo filme da trilogia, é maravilhosa.

E, claro, como que eu não menciono AL Pacino? Robert DeNiro? Diane Keaton? E o principal, o mestre da máfia italiana cinematográfica: Sr Marlon Brando? (sejamos honestxs aqui: Marlon Brando pode ter feito muitas coisas erradas em vida ~ e não estou justificando nenhuma delas ~, mas uma coisa não há como negar: sua atuação no filme é fantástica e não foi à toa que ele recebeu o Óscar de Melhor Ator em 1973.


Qual minha surpresa então quando eu estou na praia depois de muitos anos, passo em uma Lojas Americanas e vejo o bendito livro na prateleira por R$20,00? Peguei na hora, sem nem pensar.


Quando eu termino de ler a novela de Mário Puzo, meu choque: o livro termina bem quando Sonny morre.

Oi?

“Isso é no começo do primeiro filme… E o resto?”, pensei eu.

Pai Google trouxe a resposta: são, ao todo, 6 livros de três autores diferentes. Achei chocante e, para os amantes das histórias sobre máfia, segue aqui a ordem correta:

🔺 A Família Corleone, de Ed Falco, de 2012 (último livro lançado, porém cronologicamente, o primeiro);
🔺 O Chefão, de Mário Puzo, de 1969 (esse é o título original);
🔺O Siciliano, de Mário Puzo, de 1984;
🔺 A Volta do Poderoso Chefão, de Mark Winegardner, de 2004;
🔺 A Vingança do Poderoso Chefão, de Mark Winegardner, de 2006;
🔺 O Último Chefão, de Mario Puzo, de 1996;
🔺 Omerta, de Mario Puzo, de 2000.

É importante ressaltar que “O Último Chefão” e “Omerta” são livros que contam histórias do universo d’O Poderoso Chefão, mas não têm seu foco, necessariamente, em Michael e Vito Corleone.

E vocês? Gostam desse tipo de história? Contem nos comentários!

Sobre GabisNika | Gabriela Resende - Escritora

🦋 Te faço voar ao transformar suas ideias 🦋 Minhas dicas e projetos vão te ajudar a evoluir no mundo da escrita
Esse post foi publicado em Curiosidades e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para “O Poderoso Chefão”, por Mario Puzo, Ed Falco e Mark Winegardner

  1. Ricardo Resende disse:

    Bom saber que alguns dos meu filmes, você gosta… rsrs…beijos ..te amo

  2. anamacresende disse:

    ❤️ Adorei!

  3. anamacresende disse:

    ❤️😘 Amei!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s