A Medida Certa

Nós, humanos, temos a mania de medir tudo.

Usamos medidas em algarismos alfanuméricos para absolutamente tudo na nossa vida: a distância daqui até a padaria, há quantos anos você não vê a sua prima que mora na outra cidade, quanto está o quilo do tomate, quantas gramas de presunto sua mãe usa para fazer uma lasanha…

Outro dia, eu estava no mercado quando minha mãe pediu:

– Vai lá na sessão de frios e pega trezentos gramas de mussarela e trezentos de presunto.

E eu fui. Era a parte mais legal de ir no mercado quando eu era criança: ver os funcionários pegarem a quantidade que eles supunham que fosse a correta e colocar na balança, só para ver se eles acertavam de primeira.

– O próximo! – eu ouvi me chamarem.

Fiz meu pedido e me preparei para o show que acontecia na minha frente.

O moço pegou um papel timbrado com o logo do mercado e colocou na balança. Trocou de luva, esticou o braço, abriu a estufa, pôs a mão por cima da mussarela fatiada e eu vi seu polegar passar por toda a extensão da pequena pilha do produto. Ele mediu, olhou, virou e finalmente pegou uma porção do queijo.

Levou-o até a bandeja e o colocou em cima do papel timbrado.

Vi os números verdes da balança se mexerem em alta velocidade no painel preto, assim como o fundo tecnológico do Matrix e até uma pequena gota de suor escorreu pela testa do moço.

– Trezentos, não é? – ele confirmou.

Eu assenti.

Os números rodavam e rodavam até que…

0,295kg.

Ah. Quase!

O moço só se abaixou e pegou mais duas fatias e colocou na pequena pilha, sem se importar com nada do que eu fantasiava. Deu 0,302g.

Ele colocou o código na balança e, enquanto o aparelho imprimia a etiqueta, embrulhou o queijo, repetindo todo o processo e a mesma adrenalina com a pequena pilha de presunto.

– Obrigada! – disse, enquanto pegava os dois pacotes da mão dele.

Um com 0,302g de mussarela e o outro com 0,304g de presunto. Coloquei no carrinho onde minha mãe esperava com as compras e continuamos a fazer as compras.

Dei risada da pequena aventura que uma pessoa passa no dia-a-dia. Bastava ver o mundo com um pouco mais de cor que tudo se tornava uma história divertida.

Sobre GabisNika | Gabriela Resende - Escritora

🦋 Te faço voar ao transformar suas ideias 🦋 Minhas dicas e projetos vão te ajudar a evoluir no mundo da escrita
Esse post foi publicado em Contos e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s