Vida de Escritora

Se alguém disse que escritor tinha uma vida fácil, essa pessoa tava “mucho loka“.

Nessas últimas semanas que eu venho tentando colocar em palavras uma história muito legal que eu tinha na minha cabeça desde os 13 anos e depois de ter escrito 15 capítulos em um livro que eu tinha idealizado com 10 (e não acabei!!), eu posso dizer com certeza: tem dias que parece que o meu cérebro está fritando.

Sabe quando você joga a batata pra fritar no óleo quente e ela fica la borbulhando, espirrando óleo para todos os lados? Pois é.

É maravilhoso você ver as coisas tomando forma, é excitante pensar em desenhar a capa do livro, idealizar os personagens… Mas é completamente exaustivo.

Dicionário de sinônimos? Ta nos favoritos.
Google aberto com todos os sites de viagem sobre a Europa? (olha o spoiler ai) – Meu facebook deve achar que eu vou viajar pela quantidade de pacotes de viagem que eles me mandam por causa do histórico.
Coesão? Tá me deixando maluca.
E as roupas, devo descrevê-las? As vezes eu acho que esqueço que isso não é uma fanfic e que eu não preciso explicar todos os detalhes das roupas dos personagens em todas as cenas, só quando elas são relevantes.

Quantos questionamentos… Mais do que eu consigo processar e, às vezes, minha cabeça falha exatamente nessa parte tão simples: processar as informações.

Meu Deus, parece coisa de doido, ne?

O mundo parece que torce contra, mas você quer insistir em um sonho antigo. As pessoas acham que você não faz nada, mas não entendem o quanto você se doa em prol de um projeto, torcendo para que você tenha a possibilidade de ser um milésimo do que seus grandes ídolos são.

Precisei de um empurrão enorme do meu psicólogo para começar e vocês não têm ideia de como isso me ajudou. Precisava disso. Obrigada, Oswaldo.

Óbvio, não posso, jamais, esquecer o que o Victor tem feito por mim. Estar do meu lado, é eufemismo. Ele simplesmente me apoia em todas as minhas decisões, me ajuda com os plots, me inspira com finais nada a ver (ele cismou que minha história tem que ter um leprechaun só porque ela termina na Irlanda –‘) mas que no final, até podem ajudar em alguma coisa… Nunca na minha vida eu vou poder agradecer a ele tudo o que ele tem feito por mim. Jamais vai ser o suficiente. Então aqui está a declaração de todos os dias, mas que agora vem recheada de outros significados: eu te amo, meu amor.

Ao mundo, espero que me entendam. Peço que não sejam crueis.

Preciso aprender a fechar os olhos e os ouvidos para a crueldade, se eu quiser seguir em frente.

A prima do Vi tem uma tatuagem legal: Feel the fear and do it anyway.
Lógico que vindo de uma engenheira com vários projetos, coordenadora da área em uma universidade e que estudou na Universidade Federal, pode aparentar ser fácil falar.

Mas não foi. A jornada dela foi dura.

Nunca vai ser fácil.

Vocês não sabem o medo que eu estou sentindo nesse momento. O quanto eu queria poder fazer as coisas sem sentir que algo me prende. Como eu queria juntar a cara e coragem e realmente ir atrás do que eu gosto. Escrever um livro e conseguir publicá-lo vai ser um passo do tamanho do mundo pra mim…

Mas vai dar certo. Precisa dar certo.

Wish me luck 🍀

Sobre GabisNika | Gabriela Resende - Escritora

🦋 Te faço voar ao transformar suas ideias 🦋 Minhas dicas e projetos vão te ajudar a evoluir no mundo da escrita
Esse post foi publicado em Diário, Uncategorized e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s